Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Fundação Estadual do Meio Ambiente - FEAM

Capacitação amplia mercado de trabalho para catadores de materiais recicláveis

PDFImprimirE-mail

A partir de junho, os catadores de materiais reutilizáveis e recicláveis poderão colher os frutos como formandos do curso “Agentes de Gestão de Resíduos Sólidos” e contribuir para o fomento da economia solidária e a preservação do meio ambiente. Para tanto, eles estão aprendendo, neste momento, novas técnicas de manejo do lixo e processos de reciclagem no Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR), em formação viabilizada em parceria com a Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig).

 

O curso foi preparado a partir das demandas dos catadores e sindicatos de resíduos sólidos. “O objetivo da Utramig é proporcionar o aprimoramento e refinamento da atividade de catador, além de transformá-lo em multiplicador de conhecimento no ambiente de trabalho e na comunidade que reside”, afirma a diretora de Qualificação e Extensão da Utramig, Vera Victer Ananias.

 
Divulgação: CMRR
170216
Em Belo Horizonte, segundo informações da Prefeitura Municipal, 4,7% de todo o lixo recolhido podem ser reciclados

 

Em andamento

A primeira turma, com 21 alunos, prepara-se para atender grandes empresas, órgãos de governo e grandes eventos promovidos pela iniciativa privada ou pelo poder público.  “O intuito do curso é trabalhar a gestão do resíduo sólido, desde a coleta do material, até chegar à destinação para reutilização”, explica a professora do Centro Mineiro de Referência em Resíduos, Aline Veloso.  Além disso, os alunos participam de oficinas, aulas práticas e visitas técnicas aos locais que produzem grande quantidade de lixo.

O catador Geraldo de Andrade Mello, 49, é um dos matriculados e acredita que, com a formação, muitos colegas de profissão vão ter uma visão mais clara da atividade que exercem. Para ele, não basta apenas recolher o lixo, separar e dar a destinação correta. “É importante o catador enxergar que ele pode contribuir para a mudança de comportamento da sociedade”, acredita.  Geraldo coleta o lixo produzido por torcedores nos dias de jogos no Mineirão, pela Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável (Asmare).

Outro participante é Wallisson Bruno Silva Souza, 21, que tem a missão diária de receber o carregamento de lixo recolhido pela Superintendência de Limpeza Urbana de Belo Horizonte (SLU). Ele faz parte de uma Cooperativa de Catadores na Pampulha e acredita na visão empreendedora que a capacitação tem proporcionado. “Estamos reaproveitando quase todo o material para a confecção de artesanato e obras de arte. Isso vai possibilitar mais geração de renda”, comemora.

A formação para Agentes de Gestão de Resíduos Sólidos é financiada pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), do Governo Federal, em parceria com o Governo de Minas Gerais.  O curso é gerido pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese).

Por enquanto, as aulas acontecem somente na capital. O curso possui carga horária de 240h. As aulas acontecem às sextas-feiras, das 8h às 17h. Os participantes recebem auxilio transporte e alimentação durante todo o dia. A formatura está prevista para ocorrer em junho deste ano.“Podemos ampliar para outras cidades, se houver procura”, afirma a diretora de Qualificação e Extensão da Utramig, Vera Victer. “Os catadores que moram em outras cidades podem se unir com os sindicatos da categoria e solicitar o curso nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS)”, orienta.

A demanda pela capacitação, então, é encaminhada e avaliada pelo MEC, que autoriza a abertura no município.  Para participar do curso, o interessado deve procurar alguma entidade ou associação ligada ao reaproveitamento de resíduos no seu município e solicitar a implantação da modalidade de curso desejada. A associação, por sua vez, deve enviar a solicitação do curso ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), pelo e-mail ' ); document.write( addy3702 ); document.write( '<\/a>' ); //--> Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ."> Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. . A atividade cadastrada no MMA será ministrada na associação do município solicitante. Mais informações no MMA com Marcela Berti: (61) 2028-1803.  

Em números

Em Belo Horizonte, 4,7% do lixo recolhido são recicláveis, de acordo com o dado da Prefeitura da capital. Esse percentual considera os programas de reciclagem de papel, metal, plástico e vidro, orgânicos e resíduos de construção civil. A capital conta com sete cooperativas de catadores e trabalhadores com materiais recicláveis.

Em Minas Gerais, 145 associações e cooperativas de catadores e trabalhadores com materiais recicláveis estão cadastradas na Bolsa Reciclagem. Instituída em 2011, por meio da Lei Estadual nº 19.823, a Bolsa Reciclagem concede incentivo financeiro às cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis pela contraprestação de serviços ambientais.

Durante a construção de propostas ao Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) 2016-2019, o Governo de Minas Gerais propôs, inclusive, a ampliação gradativa dos recursos reservados para aplicação no programa.

CMRR

O Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) é um programa do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), com o objetivo de difundir e consolidar boas práticas na gestão integrada dos resíduos em Minas Gerais.

 

Agência Minas

FEAM|

Rodovia João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde - CEP 31630-900
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades